Formação pastoral e espiritualidade: dicas de como e o que ler

0Shares

Não é novidade que a rotina de muitos pastores e líderes dificulta o tempo que gostariam de dedicar para leitura e estudo. Por outro lado, é indiscutível a importância dessas práticas para a formação, especialmente, de novos pastores, líderes e missionários. A leitura é uma fonte inesgotável de sabedoria, e quando articulada com a prática diária, é uma ferramenta que pode fazer a diferença na prática pastoral e missionária.

Dave Harvey, pastor na Convenant Fellowship Church, Pennsylvania (EUA), em artigo publicado no site Ministério Fiel[i], diz que a prática da leitura tem feito uma enorme diferença na vitalidade ministerial de muitos pastores e pregadores. “Você tem que ler para liderar. Você precisa ler e estudar livros escritos por outros sábios líderes, pensadores e teólogos. Agora, sem medo de errar, a Escritura deve permanecer no topo quando o assunto é a sua leitura e estudo”, afirma Harvey.

Dedicar um tempo diário para leitura e estudo expressa o comprometimento com o discipulado piedoso, segundo Harvey. Ele conta que uma das primeiras coisas que aprendeu como um novo convertido foi que a palavra grega para “discípulo” (mathetes) significa literalmente “aprendiz”, ou seja, ser chamado em Cristo é ser chamado para aprender, crescer e se desenvolver.

Em meio a tantos livros lançados diariamente, como escolher uma boa obra para ocupar aquele espaço tão raro e cobiçado de leitura? Dave Harvey diz que é importante escolher livros a partir de como eles podem moldar você e escritos por alguém que construiu o que você deseja construir. É sempre bom reler os clássicos, pois sempre aparecem novos insights, ou escolher uma pessoa da história e passar uma temporada de estudo concentrado nela – é como sentar aos pés de um mestre e ouvi-lo. Durante a leitura, é indicado ter uma caneta em mãos para interagir com o livro, fazendo anotações, marcando passagens, etc.

Thiago Oliveira, pastor na Igreja Evangélica Livre em Itapuama, Pernambuco, cita[ii], entre os benefícios da leitura, o aumento do conhecimento teológico para auxiliar na educação eclesiástica, tarefas de aconselhamento e pastoreio do rebanho. Oliveira destaca: “Como todo pastor é (ou deveria ser) um teólogo, faz-se necessário ter uma boa biblioteca para auxiliá-lo em seus estudos e no preparo de seus sermões. Na medida em que bons livros são lidos, alguns servirão de base para materiais de estudos em grupos pequenos e na Escola Bíblica Dominical.”

Convidamos Gerson Borges, Guilherme de Carvalho e Jony Almeida para indicarem obras que impactaram suas jornadas de formação espiritual e pastoral. Os três, pastores de igrejas locais, atenderam gentilmente ao nosso convite e compartilharam conosco algumas obras que podem inspirar outros pastores, líderes e missionários. Confira.


O pastor segundo o coração de Deus
Eugene Peterson. Editora Textus

Essa obra, o coração da trilogia pastoral desse pastor de pastores, marcou profundamente a primeira década do meu pastorado – e continua a iluminar meu pastorado a cada releitura.  Tive o privilégio de ler os originais (tradução) quando a editora o preparava para lançá-lo em nosso país. Peterson, que plantou e pastoreou uma Igreja presbiteriana em Montana por 29 anos, parte de uma metáfora matemática (trigonometria) para definir com sólida base bíblica e grande lucidez teológica os três ângulos do trabalho pastoral: a oração, as Escrituras e a orientação espiritual. O livro, maravilhosamente bem escrito como toda a sua obra, é tão profético quanto prático. (Gerson Borges)


A arte de pastorear
David Hansen, Editora Shedd

Hansen, que teve o privilégio de ser mentoreado por Eugene Peterson, produziu uma obra tão singela quanto profunda – o que é raro em um livro que tem sido usado pelo Eterno para reaquecer o coração de muitos pastores em crise. Bastante biográfico, mas sem deixar de ser conceitual e sábio em sua teologia pastoral, o livro é leitura prazerosa, o que não é muito comum na literatura do gênero, em geral marcada por muitas citações e notas de rodapé. Conheci pessoalmente Hansen em um congresso para pastores. Homem de Deus. (Gerson Borges)


A vocação Espiritual do Pastor – Redescobrindo o chamado Ministerial
Eugene H. Peterson. Mundo Cristão

Quando eu li, a obra se chamava “À Sombra da Planta Imprevisível” e tinha sido publicada pela United Press. Esta obra foi um presente da editora Ultimato. Desde o momento em que eu recebi não parei de ler. Foi minha iniciação no autor considerado pastor de pastores. Este livro me mostrou um caminho fascinante e apertado do ministério pastoral. Foi, sem dúvida alguma, o meu mentor vocacional nestas mais de duas décadas de pastor frente à igreja. Sempre achei atraente a ideia de vocação, mas foi o livro que me fez ver que a minha fé pessoal intensa não me levava necessariamente à uma vocação pastoral exuberante. A leitura e releitura têm me livrado da ruptura, criando uma ponte graciosa, graças ao bom Deus, de um ministério que leva a fé a outros que escolheram caminhar por esta mesma senda. (Jony Almeida)


O Perfil do Líder Cristão no Século XXI
Henri J. M. Nouwen. Editora Atos

Este livro eu li em uma cópia xerografada que eu ganhei de um amigo. Isso porque era uma obra esgotada e sem previsão de reimpressão. Este companheiro achou tão importante para a minha vida, que teve o trabalho de xerocopiar para mim. O mais importante foi o que ele escreveu na dedicatória: “[…] Que este livro o auxilie a ser um verdadeiro místico, uma pessoa cuja identidade está profundamente fundamentada no primeiro amor de Deus”. E é isso que tem produzido em meu coração desde o momento que eu li. O autor foi um sacerdote católico de profunda experiência vocacional e escreve com autoridade sobre a espiritualidade do líder cristão. A leitura foi tão acentuada que virou base para a minha vida e livro-texto do curso de Liderança que ministro no Centro Evangélico de Missões (CEM), há mais de vinte anos. Esta obra marcou a vida de muitos destes alunos do CEM. (Jony Almeida)


O Pastor do Século 21
David Fisher. Editora Vida

O livro “O Pastor do Século 21” me atingiu em cheio quando o li por volta de junho de 2000, quando fui ordenado pastor batista, em Belo Horizonte. Eu era aluno do mestrado em teologia na Teológica Batista de São Paulo, em Perdizes, e esse livro me fora recomendado pelo professor de teologia pastoral. Eu sempre fui um devorador das cartas de Paulo, e a exposição simples que Fischer fez sobre a filosofia de ministério do apóstolo Paulo, ilustradas com suas próprias experiências ministeriais, trouxe-me de repente uma aguda consciência do lugar da cruz no ministério cristão. É verdade que não se trata de uma obra de profundidade exegética, dogmática ou mística; mas seus apontamentos sobre a prática apostólica do autossacrifício e da operação da cruz para que houvesse ressurreição na comunidade, e sua figuração geral do desprendimento apostólico me moveram ao ponto de deixar-me receoso da ordenação. Pela primeira vez e por um instante temi a vida pastoral e considerei deixar o caminho. Mas entendi que a dúvida não dizia respeito à vida pastoral em si, mas ao seguimento de Cristo que o pastor tem o dever de demonstrar às ovelhas. Ou seja, se eu não pudesse ser pastor por isso, não poderia tampouco ser cristão. E assim segui o caminho para a ordenação e a vida pastoral com esse livro simplesinho no coração. Por sua simplicidade a transparência bíblica, penso que é uma ótima pedida para a formação de obreiros para a igreja local, em geral, bem como para candidatos ao ministério, como um complemento aos clássicos (como o de Richard Baxter). Também recomendo como recurso para séries de mensagens sobre a natureza do serviço cristão e para ajudar estudantes da Bíblia a se aproximarem do coração pastoral do apóstolo Paulo. (Guilherme de Carvalho)


A Verdadeira Espiritualidade
Francis Schaeffer. Cultura Cristã

O livro é aberto com a narrativa de Schaeffer sobre a sua famosa crise de fé, que culminou com a fundação de L’Abri. Essa crise fora uma “crise de realidade”: por um lado ele sentia que seu cristianismo era teórico, não se conectava com a vida; mas, acima de tudo, faltava a realidade de Deus, soterrada sob dogmatismos teológicos e ensinos inadequados sobre a vida cristã. Schaeffer emergiu da crise com sua fé renovada, confirmando que “se o Cristianismo não for a Verdade, não vale a pena ser cristão”, mas o fato é que o cristianismo é a Verdade! E assim o casal funda L’Abri em 1955, com o propósito de demonstrar a realidade de Deus na realidade do mundo. O livro tem uma pré-história: os estudos sobre a Carta aos Romanos que Schaeffer ministrava em Lausanne, nos começos do ministério. Esses estudos foram publicados num livro sobre Romanos 1-8, e formaram a base para a sua teologia da vida cristã. A teologia da vida cristã de Schaeffer segue o esboço da teologia da “vida profunda” que ele aprendera em uma fase anterior (ele fora leitor da “teologia de Keswick”, que muito influenciou Watchman Nee, por exemplo), mas apresenta uma solidez bíblica muito maior, um compromisso renovado com a teologia reformada da santificação, e uma impressionante aplicação pastoral com as noções de espiritualidade “momento a momento” (moment by moment) e as dimensões da “cura substancial” de problemas psicológicos, dos relacionamentos, da igreja e da pessoa total. Eu considero “A Verdadeira Espiritualidade” um clássico moderno da teologia espiritual e recomendo como livro de cabeceira para pastores e como obra de referência na formação de obreiros para a igreja local. (Guilherme de Carvalho)


O Pastor Aprovado
Richard Baxter. Editora PES

O livro de Baxter é um alerta a todos nós ministros do evangelho para não perdermos o rumo na nossa caminhada. Há hoje em dia uma tendência pecaminosa no ministério de se preocupar com a igreja somente como instituição ou “departamentalizar” o ministério em diversas áreas. É comum vermos pastores somente pregadores, ou administradores. Pastores não sabem mais os nomes de seus membros, não oram mais por eles e não se envolvem nas vidas de suas ovelhas. Precisamos de pastores à moda antiga. Temos perdido a essência do ministério pastoral. (Thiago Guerra – extraído do site Voltemos ao Evangelho)

fonte https://sepal.org.br/formacao-pastoral-e-espiritualidade-dicas-de-como-e-o-que-ler/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=formacao-pastoral-e-espiritualidade-dicas-de-como-e-o-que-ler#

0Shares
Anúncios
Anúncios