Indígenas devem ser respeitados em projetos de mudanças climáticas no Quênia, pedem especialistas da ONU

Especialistas independentes da ONU expressaram suas preocupações sobre os recentes relatórios de que os povos indígenas Sengwer, no oeste do Quênia, foram atacados e expulsos de suas casas como resultado da implementação do projeto de gerenciamento de água financiado pela União Europeia.

“Os Sengwer estão enfrentando repetidos ataques e despejos forçados por agentes do serviço florestal do Quênia, que é uma agência de implementação do projeto financiado pela União Europeia”, disseram os especialistas.

Em 25 de dezembro de 2017, mais de 100 guardas armados do serviço florestal entraram nas terras tradicionais do Sengwer, na floresta de Embobut, efetuando disparos, queimando pelo menos 15 casas e matando o gado.

No dia 9 de janeiro, um dos líderes de Sengwer foi atropelado pelos guardas do serviço florestal. Mesmo conseguindo escapar, sua casa foi queimada e sua propriedade destruída.

Os especialistas pediram ao Quênia e à União Europeia que assegurem que os direitos humanos dos povos Sengwer sejam respeitados. “Estamos preocupados com o fato de o projeto estar sendo implementado sem uma avaliação de impacto nos direitos humanos”, disseram os especialistas, apontando que o consentimento prévio e esclarecido do povo Sengwer não foi buscado.

“Pedimos às autoridades quenianas que suspendam urgentemente os despejos da comunidade Sengwer e realizem investigações imparciais desses ataques. Além disso, instamos a União Europeia a suspender o financiamento do projeto até que as medidas tenham sido tomadas para respeitar os padrões internacionais de direitos dos povos indígenas.”

Em junho de 2016, a UE e o governo queniano lançaram o projeto de Proteção de Torres d’Água e Mitigação e Adaptação à Mudança Climática (WaTER), no valor de cerca de 31 milhões de euros.

 

fonte https://nacoesunidas.org/indigenas-devem-ser-respeitados-em-projetos-de-mudancas-climaticas-no-quenia-pedem-especialistas-da-onu/

 

Posted in ONU